petroleiroanistiado

A great WordPress.com site


Deixe um comentário

RENOVÁVEIS SUPERAM GÁS E ENERGIA

Renováveis superam gás e energia nuclear em 2016

A eletricidade produzida através de fontes renováveis – barragens, eólicas e solar – vai superar a produção através de gás natural e de energia nuclear a partir de 2016, estima o mais recente relatório da Agência Internacional de Energia (AIE).
De acordo com o documento, divulgado hoje, as renováveis são o setor produtor de eletricidade com o crescimento mais rápido e, em 2018, representarão 25% da energia elétrica produzida no mundo. Já o ano passado, e em termos absolutos, a produção de energia renovável atingiu os 4860 TWh, ou seja, mais que o consumo de eletricidade da China.
“À medida que os custos continuam a descer, as fontes de energia renovável começam a ganhar terreno e mérito em relação à geração através de combustíveis fósseis”, disse a diretora executiva da AIE, Maria van der Hoeven na apresentação do relatório em Nova Iorque.
Por exemplo, no Brasil, Turquia ou Nova Zelândia, as renováveis competem bem com as centrais elétricas a gás ou carvão e há casos em que os custos de investir em energia solar está muito próximo de atingir o mesmo que custa para os domésticos, ou seja, sem qualquer risco para o investidor.
Para esta responsável é, contudo, preciso ter em atenção o tipo de políticas que os vários países implementam, sob pena de se perderem investidores. “A incerteza política é a inimiga número um para os investidores. Muitas das renováveis já não precisam de grandes incentivos económicos, mas sim de políticas de longo prazo que tornem o mercado mais previsível e compatível com os seus objetivos financeiros”, disse.
Fonte: Dinheiro Vivo (PT)


Deixe um comentário

CONSUMO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS EM PORTUGAL.

Consumo de energias renováveis quase duplicou em Portugal

A eletricidade produzida a partir de fontes renováveis representa cerca de 70% do consumo em Portugal, em relação ao primeiro trimestre deste ano. Este resultado foi possível devido à existência de condições meteorológicas favoráveis à produção hidráulica e eólica, durante este período.

 De acordo com o governo, entre os meses de Janeiro e Março, a produção hidráulica registou um aumento de 312% em relação a 2012, tendo conseguido abastecer 37% do consumo nacional. Quanto à produção eólica, os níveis aumentaram 60% no mesmo período, permitindo abastecer 27% do consumo.

Segundo a agência Lusa, as duas fontes de energia são as que têm um maior peso na produção de origem renovável. Os resultados quase que duplicaram no primeiro trimestre em relação a 2012, ano em que se registava um consumo de apenas 37%.

Segundo os dados do governo, o regime eólico durante esta primeira fase de 2013 foi o mais elevado de sempre, com 36% acima da média.

O consumo de energia elétrica sofreu uma queda de 2,3% e a produção das centrais térmicas a carvão e gás natural desceu 29% e 44%, em relação ao período homólogo.

Estes resultados revelam uma tendência de abrandamento na queda dos consumos, que se começou a verificar no final do ano passado. Durante o passado mês de Março registou-se mesmo uma evolução positiva com um crescimento na ordem dos 4,7%.

O ano de 2012 foi o segundo período anual consecutivo em que se registou uma redução destes consumos, acumulando uma descida de 6% em relação ao máximo ocorrido em 2010.

Entre os meses de Janeiro e Março, o sistema de produção energética português manteve-se exportar, tendo conseguido vender ao exterior o equivalente a 6% do consumo nacional.

Fonte: I love Portugal