Segundo o ativista Thiago Almeida, da Campanha de Energia da Ong Greenpeace, a exploração na região gera o risco de derramamento de peteróleo

Por Redação, com ABr – de São Paulo:

O processo de licenciamento ambiental para perfuração de poços de petróleo na região da foz do Rio Amazonas, próximo de onde foi descoberto recentemente um recife de corais, esponjas e rodolitos de 9,5 mil km², uma área 20% maior que a região metropolitana de São Paulo, está em análise no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Segundo o ativista Thiago Almeida, da Campanha de Energia da Ong Greenpeace, a exploração na região gera o risco de derramamento de peteróleo.

Recifes de corais da foz do Rio Amazonas representam um novo bioma, o único no mundo com essas características

Recifes de corais da foz do Rio Amazonas representam um novo bioma, o único no mundo com essas características