petroleiroanistiado

A great WordPress.com site

ENERGIA ELÉTRICA – Modelo de acionamento das usinas térmicas.

Deixe um comentário

Setor elétrico decide manter modelo de acionamento das usinas térmicas

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu manter em funcionamento termelétricas com custo de operação até R$ 211 por megawatt-hora (MWh), limite que mantém a bandeira tarifária na cor verde, segundo fonte do setor. Com a decisão, tomada durante reunião realizada quarta-feira em Brasília, a tarifa de energia não deverá sofrer redução adicional além daquela já prevista pela mudança da cor da bandeira.
Com a melhora do cenário, havia a expectativa que o CMSE pudesse alterar o modelo de acionamento das térmicas já nessa reunião, retomando o modelo de despacho por ordem de mérito, em que as usinas são acionadas, da mais baratas para a mais caras, conforme a sinalização do custo marginal de operação (CMO). Nesta semana, o CMO no Sudeste, Sul e Norte está em R$ 32,83/MWh.
A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) já indicaram ser favoráveis à retomada do modelo de despacho por ordem de mérito, considerado mais transparente pelo mercado.
O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), porém, indica que ainda é necessária geração térmica adicional para recompor os reservatórios hidrelétricos, a fim de chegar a um patamar de armazenamento seguro em novembro. Na prática, essa decisão demanda a operação de térmicas com custo superior ao CMO.
Em nota divulgada na quarta-feira, o Ministério de Minas e Energia informou que “o ONS deverá continuar efetuando o acompanhamento das condições hidroenergéticas do SIN [Sistema Interligado Nacional] visando, em função da sua evolução, propor ao CMSE a definição da geração térmica necessária para a garantia do atendimento energético”.
O ministério acrescentou que, “considerando tanto o despacho das térmicas por ordem de mérito quanto o despacho das térmicas até o CVU [custo variável unitário] de R$ 211/MWh em abril de 2016, obtêm-se valores para o risco de qualquer déficit de energia igual a 0%, para as regiões Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste”.
“Mesmo com o sistema em equilíbrio estrutural”, acrescentou o ministério. “ações conjunturais específicas podem ser necessárias […] cabendo ao ONS a adoção de medidas adicionais àquelas normalmente praticadas […] buscando preservar os estoques nos principais reservatórios de cabeceira do SIN”.
Fonte: Valor Econômico

Anúncios

Autor: carlosadoria

MANTÉM SUAS UTOPIAS DE 60 ANOS ATRÁS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s